Notícias

GAP passa a vender pela internet para o Brasil

ALVARO FAGUNDES
DE SÃO PAULO
A Gap, uma das marcas de roupa mais conhecidas dos EUA, vai vender pela internet para o mercado brasileiro.

A comercialização para o Brasil faz parte de uma estratégia maior da empresa (dona de marcas como Banana Republic, Old Navy e Athleta e que também estarão disponíveis), que vai vender on-line para mais 54 países.

Porém, o próprio comunicado da Gap deixa claro a importância do Brasil, já que só o país, a Austrália e o México são citados entre os mercados que a companhia começa a atender.

A internacionalização do site da empresa ocorre em um momento em que as economias emergentes (como o Brasil) mostram estar em um melhor momento que a dos EUA, onde os consumidores continuam a cortar os gastos.

Mas alguns testes no site da empresa mostram que, como costuma acontecer nas vendas on-line internacionais, o brasileiro não vai pagar barato pelo produto.

Por exemplo, duas camisas que somam, nos EUA, R$ 183 chegam aqui por R$ 374,10 (pelo dólar de ontem). Os impostos e as taxas alfandegárias representam quase um terço do valor: R$ 117,20. O frete custa R$ 73,90 -e o valor é idêntico ao menos para Argentina, Chile, Suíça e África do Sul.

Nenhum consumidor desses quatro países paga mais tributos e taxas alfandegárias que o brasileiro. No mesmo exemplo das duas camisas, o suíço paga 84% menos que o brasileiro, enquanto o sul-africano, que é o que mais se aproxima, tem um valor 6% inferior.

O argentino arca com um valor de tributos que é menos da metade do que o brasileiro tem que enfrentar: R$ 51,80. E o chileno não fica com um valor tão distante (R$ 63,20).

A comparação feita no site da Gap repete o que ocorre nas vendas do Kindle (o leitor de livros eletrônicos da Amazon), em que o brasileiro é o que paga mais tributos para importá-lo entre 28 países.

:: Voltar
av. senador casemiro da rocha, 609 cj 51 • saúde • cep 04047-001 • são paulo • sp
fone: +55.11.2276.0048 | 11.2577.1115 | 11.4562.1116 | (oi dub): 11.96656-0048