Notícias

Vantagem competitiva por meio da visão sistêmica.




Por Carlos Eduardo Caparelli:

Ao longo dos anos, tenho sido questionado acerca do ápice da minha vida profissional. Ao invés de mencionar os cargos de direção que já ocupei, a resposta que me vem de imediato é o início de carreira em uma das mais importantes e renomadas empresas de serviços do mundo, Ernst & Young.

Como entrei ainda muito jovem na empresa, não tenho dúvidas de que os ensinamentos técnicos e comportamentais moldaram a minha personalidade profissional. Dentre os pontos de maior relevância, destaco a primeira e principal atividade que a eficiente metodologia impunha aos seus profissionais, qual seja a de conhecer cada uma das atividades dos clientes para, a posteriori, consolidá-las de forma tal que a visão do todo estivesse garantida.

Nas redes varejistas, por exemplo, ficávamos horas no salão de vendas e retaguarda das lojas até que o processo fosse compreendido. Ato contínuo, percorríamos todas as unidades e departamentos até que o ciclo estivesse concluído. Tenho claro, dessa forma, que o principal legado do início de carreira na Ernst & Young foi a compreensão da necessidade de se construir uma visão sistêmica, destinada à integração de todas as funções corporativas.

Minha experiência executiva de mais de 20 anos embasa a percepção de que um dos principais problemas de gestão no mundo corporativo é justamente a falta de visão sistêmica. Muitas vezes, os departamentos agem como se a repercussão das suas ações ficasse restrita às suas fronteiras. Não raro, todavia, a solução ideal concebida pelos gestores do departamento X, para transpor um enorme problema que lhe afeta, inicia um novo ciclo de transtornos, desta vez no departamento Y.

No exemplo acima citado, o problema apenas se locomoveu do departamento X para o Y. A empresa continua padecendo de um problema. Ademais, quem nunca conviveu com conflitos internos e reclamações da suposta falta de competência do fulano que gerencia o departamento X, Y, Z?? A origem de tais conflitos não seria a dificuldade dos gestores de enxergar o todo?

Para ajudar a compreensão dos motivos que determinam a falta de visão sistêmica no mundo corporativo, basta uma breve citação do método de ensino nos cursos superiores de administração de empresas e afins. As funções de marketing, recursos humanos, finanças, logística, dentre outras, são aplicadas individualmente, sem que se explore a integração das mesmas. Perde-se assim uma oportunidade única de exercitar, ainda na academia, o raciocínio integrado e a formação da visão sistêmica.

A consequência para as empresas é o excesso de falhas operacionais, perda de eficiência e aumento de custos. Os clientes sentem o efeito! Em um mundo cada vez mais competitivo, onde as margens de lucro, via de regra, estão cada vez mais enxutas, passa a ser preponderante à alta direção das empresas investir recursos e energia na capacitação dos seus profissionais e na contratação de bons sistemas integrados de gestão. O retorno sobre o investimento é garantido, via crescimento sustentado e obtenção de vantagem competitiva.

Fonte: Alshop.com.br

Últimas Notícias:
• Um negócio para cada estilo.
• Como se preparar para a feira de franquias.
• Os vencedores do prêmio Melhores Franquias do Brasil 2012.
• Existe crédito especial para as franquias?



:: Voltar
av. senador casemiro da rocha, 609 cj 51 • saúde • cep 04047-001 • são paulo • sp
fone: +55.11.2276.0048 | 11.2577.1115 | 11.4562.1116 | (oi dub): 11.96656-0048